Acendo um cigarro…
Vieste me ao pensamento inevitavelmente…
Como podes estar tão ausente se te sinto tão presente?
Como podes estar tão longe e tão perto ao mesmo tempo?
Serão estas questões retóricas que me atormentam o pensamento?
Não sei…
Não sei o que sinto, não sei o que penso, apenas sei que penso em ti…
Sozinha no meu quarto sopra me de mansinho uma brisa, serás tu?
Ou apenas ilusão…
Serás um anjo, serás uma luz, um apoio, um sentimento ou uma perdição…
Talvez até um pecado mortal…pecado este que me invade de desejo e me consome por dentro…
Tenho saudades, saudades de ti, saudades da tua voz, saudades do teu carinho…
Como é possível explicar este sentimento?
Tantas questões às quais não consigo responder invadem me por dentro, mas as quais a resposta se torna tão evidente quando oiço a tua voz…
Voz essa, que me penetra na alma, que faz de mim um ser humano feliz…
Desejo sentir-te, tocar-te, beijar-te, ver-te…
Até já amor 😉

Anúncios