Etiquetas

Doar sangue vai dar direito a medalhas associadas ao número de doações. A Portaria n.º 124-A/2013 do Ministério da Saúde veio estabelecer as normas aplicáveis à atribuição do cartão nacional de dador de sangue e também definir formas de reconhecimento público pela dádiva regular de sangue.

O reconhecimento público far-se-á pela atribuição de diplomas e medalhas cujos modelos são apresentados em Diário da República. O sector das medalhas conhece assim um forte incentivo estatal…

Reconhecimento público
1 – Para efeitos de reconhecimento público do dador de sangue, são criados a medalha e o diploma de dador de sangue para galardoar a dedicação inerente à dádiva de sangue.
2 – A medalha de dador de sangue, acompanhada do respetivo certificado, é concedida pelo Ministro da Saúde, compreendendo os seguintes graus:
a) Medalha dourada – a conceder aos dadores que tenham completado 60 dádivas de sangue;
b) Medalha prateada – a conceder aos dadores que tenham completado 40 dádivas;
c) Medalha cobreada – a conceder aos dadores que tenham completado 20 dádivas.
3 – O diploma de dador de sangue é concedido pelo Presidente do Conselho Diretivo do IPST, I.P. aos dadores que tenham completado 10 dádivas de sangue.
4 – Para galardoar os dadores que tenham completado as 100 dádivas de sangue é criada uma medalha, igualmente dourada, que será concedida pelo Ministro da Saúde, acompanhada do respetivo certificado.
5 – Compete ao IPST, I.P. a emissão dos galardões previstos nos números anteriores, cabendo aos serviços de sangue, responsáveis pelo registo dos dadores e às organizações de dadores de sangue, o fornecimento dos dados relativos ao n.º de dádivas e identificação do dador.
6 – Os modelos dos galardões referidos nos números anteriores, constam do Anexo II à presente Portaria, da qual faz parte integrante.
7 – Os encargos resultantes da atribuição dos galardões são suportados pelo orçamento do IPST, I.P..

dê sangue
Anúncios